xx

ECONOMIA SOLIDÁRIA

  NOVAS REGRAS

 
ARTIGOS PUBLICADOS

xx

RESENHAS

 

1. Economia justa, solidária e sustentável  http://www.livrodevisitas.com.br/ler.cfm?id=68529&begin=61&count=10 08/2021

 

2. Sustentabilidade econômica. http://www.overmundo.com.br/overblog/sustentabilidade-economica 26/03/2008

 

3. COOCEFECAM. Cooperativismo e tecnologia da informação reduzem desigualdade social. http://www.coocefetcam.com.br 25/06/2008 

 

4.Terceiro setor tem rede de cooperação. www.bempublico.com.br  17/07/2007 

 

5. Auto sustentabilidade – sugestão via websevice. www.ajudabrasil.org 11/06/2007 

 

6.Auto-sustentabilidade econômica – via WebService. www.segs.com.br 30/05/2007

 

7. Informativo Confebrás. Cooperativismo e tecnologia da informação reduzem desigualdade social. www.coocefetcam.com.br  29/04/2007

 

8. Tecnologia da informação a serviço do homem. www.2bexpo.com.br 21/05/2003 

 

9. Sustentabilidade econômica para o terceiro setor. www.asocial.calepino.com.br  

 

10. Novas regras para a economia solidária. www.revistafatorbrasil.com.br  

 

CITAÇÕES   BIBLIOGRÁFICAS

 

1. BUTTENBENDER, Paulo Luis. Estudos sobre o cooperativismo no nordeste do Estado do Rio Grande do Sul, de 2004 a 2010, Santa Rosa (RS), UNIJUI, 2011. (Documento sistematizador do TCC) https://www.passeidireto.com/arquivo/70379661/cooperativismo07/20210 07/2021

 

2. DAS AMAZÔNIAS. Revista Discente de Historia da  UFAC. O que o “Parasitas” tem em comum com o Brasil no covid19. file:///C:/Users/monte/AppData/Local/Temp/3461-Texto%20do%20artigo-9782-3-10-20 200527.pdf, 27/04/2020.   p.114

 

3. PRIMO, Rafaela de Santana Guimarães. O e-commerce e a Iempresa.Sergipe, Universidade Federal de Sergipe, Centro de ciências sociais aplicadas. Departamento de Administração,2018.  https://ri.ufs.br/bitstream/riufs/11574/2/Rafaela_Santana_Guimaraes_Primo.pdf, 2018. Tese de mestrado. p. 64

 

4. PRIMO, Rafaela de Santana Guimarães. Vantagens e desvantagem do comércio eletrônico:- : Fatores que influenciaram na compra   no comércio eletrônico; um estudo com consumidores universitário. Sergipe , UFS, https://ri.ufs.br/bitstream/riufs/11574/2/Rafaela_Santana_Guimaraes_Primo.pdf2018, p.28.

 

5. GOMES, Tiago Felipe de Carvalho. A aplicação do código de defesa do consumidor nas relações de compras e vendas virtuais. http://repositorio.saolucas.edu.br:8080/xmlui/bitstream/handle/123456789/2365/Tiago%20Felipe%20de%20Carvalho%20Gomes%2C%20A%20aplica%C3%A7%C3%A3o%20do%20C%C3%B3digo%20de%20Defesa%20do%20Consumidor%20nas%20rela%C3%A7%C3%B5es%20de%20compras%20e%20vendas%20virtuais.pdf?sequence=1&isAllowed=y  Porto Velho, Centro Universitário de São Lucas, Coordenação do curso de direito, 2017. P.15 e p.16

 

6. BOFF, Priscila da Rosa; Habn, Renata dos Santos. Planejamento estratégico participativo;Relato da experiência de implementação na

            ATURI. http://base.socioeco.org/docs/041cadernosihu.pdf  Rio Grande do Sul, SIHVE, 2009. P.28 

 

7. PRÊMOLI, Kátia. Perfil e característica de mulheres em empreendimentos sociais: Estudo nos empreendimentos econômicos solidários.. Itajaí,  Universidade do Vale do Itajaí, 2011.

 

8. BUTTENBENDER, Pedro Luiz. Estudo sobre o cooperativismo no nordeste do Estado do Rio Grande do Sul; de 2004 a 2010. https://bibliodigital.unijui.edu.br:844n  04/2011.

 

9. HENDGES, Margot. Educação e capacitação cooperativa: sua importância e aplicação.econômicos.fiscolex.com.br,  06/03/2011.

 

10. COMPART, Alexandre e OLIVEIRA, Gleiber Gomes. COV (desenvolvimento institucional - transformação social  http://www.institutoelo.org.br/site/files/publications/e462b7dfab5c20d14b608509b9fc3d05.pdf Ano1N1, 12/2010.

 

11. COMPART, A.; Oliveira, G. Cov (desenvolvimento institucional, transformação social)= Rev.S3 Terceiro setor, ano I, 1,2010.

 

12. ARCOVERDE, Ana; Melo, Creusa; Silva, Leonidas.  O Estado, os blocos econômicos e as cooperativas. V Encontro de Pesquisadores Latino de Cooperativismo. Ribeirão Preto, São Paulo, 08/08/2008. 

 

13. ABREU, Ivo. Inclusão Digital & Educação –HTTP.//desígnio.com.sapo.pt/Etica/etic_04_InclDigital Edu.htm  13/05/2007.

 

14. ALENCAR, R.; Avila, E; Belli,M; Dalagnelo,E; Gress, F.; Machado, m.; Pereira,E.; Santos,J.; Serpa,A. CEPESI: uma nova forma de Economia Solidária. Asociación Colombiana de Universidades-ASCUN ; IX Congreso Iberoamericano de Extension Universitária, Bogota-Colombia, 2006.

 

15. CRUZ, Rogério Teixeira. A potencialidade do associativismo e do cooperativismo na lInternacionalização De Produtos de Micro e Pequenas Empresas - O Exemplo da Cachaça. Rev.de Negócios internacionais, Piracicaba, 4(7):35-41, 2006.

 

16. ANGELO, Carolina Barbosa. Pessoas desenvolvendo processos estudode caso: SICOOB Nova Venecia, 2005.

 

17. GROSSI, M., Oliveira, M., Souza, W. A distribuição do conhecimento na sociedade  de informação, S.L.P., 2005.

 

18. PREVIDI, Mariele F. A economia solidária e a imprensa no governo Lula.  São Paulo, PUCSP-Pontificia Universidade Católica de São Paulo, 2005.

 

19. BARBOSA E LINZ, Luiz LINS, Maria Nazaré. 3 setor. Reflexões sobre o marco legal. Rio de Janeiro, Fundação Getúlio Vargas, 1998.

 

1. GOMES, H.S.; Souza, J.L.; Santos, A.R.  Políticas para a economia solidária. S.L.P., S.D.

 

20. JORGE,C.; Santos, F. Aeconomia solidária e as novas relações de trabalho no capitalismo contemporâneo. Universidade Federal de Juiz de Fora,S.D.